Olá, meu nome é Elisângela e o que eu vou lhes contar aqui aconteceu de verdade, há muitos anos. Um fato inesquecível, digno de se contar somente no fim da vida. Mas quero contar mesmo assim…

Quando eu trabalhava na casa de férias de uma família de ricos nojentos, conheci o chofer deles, um homem casado sem vergonha cujo truque era embebedar as mulheres de vinho e depois comê-las lá na casa em que ele estava construindo com a esposa dele em Mogi das Cruzes.

Mesmo depois de ser alertada pelas outras empregadas que ele havia comido, eu também caí na conversa dele. Na verdade eu queria mesmo, porque eu achava ele “chiquinho”.
Ele me levou pra conhecer a casa. Muito bonita, dois andares, quase terminada. Eu já cheguei com vontade de fazer xixi, mas me segurei, pois tinha vergonha de perguntar logo de cara onde ficava o banheiro.

Ele logo foi abrindo um vinho e me serviu educadamente. Tomei um gole começamos a conversar. Ele encheu minha taça várias vezes, esperando que eu ficasse “bebinha” para, enfim, ele fazer a festa comigo… Mas o que ele não sabia era que eu sou uma caipira bêbada. Sou forte pra pinga e há muitos anos que eu bebo 10 latas de cerveja por dia, sem cambalear depois.

Ele ficou apavorado diante da minha resistência ao álcool; a garrafa de vinho estava acabando, ele apenas fingia beber (parte do truque), enquanto eu bebia tudo e nada de ficar tonta.

Então, quando ele desceu para o primeiro andar a fim de buscar outra garrafa, eu aproveitei para procurar o bendito banheiro, pois minha bexiga estava a ponto de estourar!

Procurei, procurei e nada de banheiro. A bebida estava começando a subir e eu não estava mais agüentando. Eu tinha que ser rápida, pois ele já estava voltando. Aí eu abaixei as calças, a calcinha, me agachei e mijei no tapete do quarto.

Quando terminei eu percebi que tinha mijado na minha meia. Tirei ela, enrolei e joguei dentro de um armarinho que tinha ali.

Ele voltou, bebemos e conversamos mais. E como eu não ficava bêbada nunca, ele desistiu de tentar me comer e me trouxe de volta. Cheguei em casa usando uma meia só.

Passaram-se meses e um dia os ricos voltaram à casa para passar uma semana.
O chofer me procurou e me entregou uma sacolinha, dizendo:
– Você esqueceu isso lá na casa – depois sorriu e voltou pro carro.

Na sacolinha, é claro, estava a meia mijada que eu tinha escondido! E o pior e mais vergonhoso de tudo era que a meia devia estar tão podre, tão fedida, que o infeliz lavou antes de entregar!

Uma resposta »

  1. JH0W disse:

    Se ele não Consegiu te comer eu te Como
    HSUAHSAUSHASUASHAUSAHS Topa ?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s