O Marreco

Madrugada fria de chuva calma. Eu ainda estava acordado, há meses sofrendo de insônia, só conseguia dormir após horas jogando God of War no PS2. E era o que eu estava fazendo àquela hora.

Eu tinha 42 anos, já viúvo, e havia comprado o videogame apenas para me distrair, livrar meus pensamentos daquela tarde fatídica quando entrei em casa e peguei meu único filho dando o cu prum negão.

Expulsei meu filho de casa e passei a morar só. Apenas eu, meu PS2 e muitas latas de cerveja bem gelada.

Nesta madrugada, me lembro, eu já tinha tomado mais de uma dúzia de Skol e jazia babando sobre o controle analógico, ainda acordado, quando uma batida seca na porta de casa me assustou.

Levantei num sobressalto. Ou era a polícia ou era meu filho viado querendo voltar pra casa, pensei, enquanto limpava a baba do canto da boca.

Abri a porta, um vento frio me atingiu. Eu estava só de cueca. 

Não era nada, não tinha ninguém. Fiquei puto da vida, já ia fechando a porta quando uma sombra funesta passou por sobre a minha cabeça.

A sombra era um marreco, que ao entrar em minha casa, sobrevoou batendo a cabeça no teto várias vezes, tantas que começaram a se formar minúsculas manchas de sangue aonde ele colidia.

Então, como se cansado de sua burrice, o estranho marreco empoleirou-se em cima da Tv. Ficou lá totalmente imóvel, com a cabeça sangrando, sério.

Eu ri, o que mais poderia fazer diante daquilo? E ao me aproximar do marreco, eu perguntei só para brincar:

– Olá marreco inconveniente. Que faz aqui?

E o marreco disse:
– Eu quero ganhar mais!

Fiquei admirado com a ave, apesar da sua frase sem sentido. Mas o que esperar de um marreco falante que veio das trevas?

E o marreco disse:
– Eu quero ganhar mais!

– Vai tomar no seu cu, seu bosta! – gritei levantando os braços, mas a ave nem se mexeu. Ela não tinha medo. Me olhava, impassível, e me causava medo.

Talvez fosse o marreco de estimação de um dono viciado no extinto programa do Celso Portioli – Sessão Premiada – e tenha aprendido essa frase ridícula com ele. Ou. não.
Que madrugada mais inacreditável!

– Você só sabe dizer isso? – perguntei e a ave não respondeu, mas começou a se mover.

O marreco se ajeitou e começou a cagar sobre a minha tv. Despejou uma merda clara, esverdeada e fétida, que escorreu sobre a tela LCD, me causando náuseas e fúria.

– Marreco filho duma puta! – berrei alto e ele nem se moveu

E o marreco disse:
– Eu quero ganhar mais!

Peguei meu 38 debaixo da almofada e meti 3 tiros naquela ave infernal, que caiu dura, já sem vida, atrás da tv. E ficou por lá porque eu é que não ia limpar.

Silêncio, a chuva havia parado. Apenas o eco perdurou até o alvorecer – “Eu quero ganhar mais”.
Fiquei sem saber o que mais o marreco queria ganhar.
Seria o prêmio de 5.000 reais?

Uma resposta »

  1. Yasmim-Deschain disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Marreco filho duma puta!!! XD

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s