Voltávamos de um casamento minha nega, eu, um amigo e a mina dele. Todos bêbados.
Era quase meia noite e eu estava dirigindo o carro do meu pai, um Chevette 82, caindo aos pedaços.

Ao meu lado estava minha nega que fogueta que só ela, começou a mexer nas minhas partes. O negócio começou a esquentar. Estava escuro, mas olhando no retrovisor dava pra ver que tava acontecendo o maior furdunço no banco de trás. Putaria geral. Meu amigo perguntou se eu não podia parar num drive-in que tinha a 1km dali. Eu também tava com tesão de comer minha nega e concordei.

Chegamos lá, não tinha quarto, só garagem mesmo e a gente teria que foder todo mundo dentro do carro.
– Nem me venham com essa putaria de swing, blz? – balbuciei.
Todos concordaram.

Eu vinha instigando a minha nega de fazer anal há meses e ela não correspondia nem sob promessas falsas de levar ela no Shopi no fim do ano. Mas nesse dia ela tava num fogaréu tamanho que topou sem pestanejar.

Eu tava meio mamado mas consegui pôr ela de quatro entre os dois bancos da frente. Os outros dois estavam emendados num 69 horripilante lá atrás.

Forcei o meu pau na entradinha dela. E ela se arrepiou toda. Comecei a bombar. Que delícia que tava.
Mas acontece que na festa do casamento a gente tinha comido uns quatro copos daquelas saladas de batata, cenoura e vinagrete; churrasco a rodo e sei lá quanto de chopp preto; e pelo jeito o negócio ainda não estava bem aconchegado na barriga dela.

Comecei a socar com força sem saber que meu pau estava servindo como um desentupidor de pia.
Quando num momento de infelicidade ele escapou da entradinha e a nega desatou a soltar uma caganeira alucinante nos bancos do Chevette do meu pai! Borrou câmbio, painel, carpete de borracha e até os pedais!

E ao mesmo tempo, como se fosse combinado, os dois lá atrás gozaram… Puta merda! Gozaram nos bancos de trás do carro do meu pai!

O fedor de merda subiu e todo mundo abandonou o carro. Minha nega bêbada toda cagada caiu no chão tonta. E eu desesperado choramingava sabendo da comida de toco que meu pai ia dar!

Tomamos coragem e saímos dalí. Com a ajuda do meu amigo joguei o Chevette em uma barroca e toquei fogo em cima.

Falei pro meu pai que o carro tinha sido roubado.

»

  1. Andre disse:

    hahahhahahahahahaahahahahahahahahahahahahahahahahaaaaaaaaaaaa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s